• English
  • Espanhol
  • Português
Submit

EM PUBLICAÇÃO

EDIÇÕES

Boletim técnico da Produção de Petróleo

Publicação:DEZ /2008

Volume:3

Número:2

Artigos mais procurados

Artigos
Expediente, Editorial e Sumário

Caros Colegas, Enfim com um “certo” atraso, sai a segunda edição sob a minha coordenação técnica. Nesta edição, temos sete artigos técnicos que percorrem temas como gestão, garantia de escoamento, separação de óleo e água, construção de poço e acompanhamento de produção, realçando a multidisciplinaridade deste Boletim. Gestão do conhecimento na Engenharia de Produção da Petrobras: histórico e estudo de caso da comunidade de práticas de engenharia de poço - É um relato sobre a implantação de gestão de conhecimento numa das atividades básicas de E&P.


Autores:

Palavras-chave

Compartilhe

  • Share to Google Plus
  • Share to Twitter
  • Share to Linkedin
Gestão do conhecimento na Engenharia de Produção da Petrobras: histórico e estudo de caso da comunidade de práticas de engenharia de poço

Muitas empresas e organizações já perceberam como é importante gerenciar suas competências e ativos de conhecimento que, mais do que uma linha de produção eficaz ou uma marca forte, devem zelar pelo conhecimento produzido por suas equipes e por seus profissionais. Se existirem práticas bem-sucedidas dentro da organização e forem de domínio apenas de um grupo ou algumas pessoas, a empresa está deixando de ganhar algo muito valioso e pode mesmo vir a perder esses conhecimentos.


Autores: Marcos Antonio Rosolen, Cristina Gaudio Teixeira

Palavras-chave

gestão do conhecimento, comunidades de práticas, melhor prática, lições aprendidas, fórum de discussão, compartilhamento, disseminação

Compartilhe

  • Share to Google Plus
  • Share to Twitter
  • Share to Linkedin
Desenvolvimento de hidrociclones para altos, médios e baixos teores de óleo

Este trabalho objetiva descrever as etapas e apresentar os resultados de um projeto de pesquisa visando o desenvolvimento de hidrociclones pela Petrobras para separação primaria óleo/agua. As famílias de hidrociclones para altos, médios e baixos teores de óleo, respectivamente batizadas de ATO, MTO e BTO foram desenvolvidas nesse projeto e estão atualmente em fase de deposito de patente. Os membros de cada uma delas foram inicialmente concebidos e analisados por meio de simulações numéricas (CFD). Os set-up para essas simulações basearam-se em trabalhos complementares de investigação experimental da fluidodinâmica em hidrociclones, com a utilização de instrumentos de medição a laser (LDA e PIV), em modelos em acrílico. Apos a seleção das geometrias de melhor desempenho no CFD, foram projetados e construídos protótipos em aço inoxidável dessas geometrias de cada uma das três famílias de hidrociclones citadas.


Autores: Carlos Alberto Capela Moraes, Luiz Philipe Martinez Marins, Dárley Carrijo de Melo, Fabrício Soares da Silva, João Américo Aguirre Oliveira Junior, Marcos Aurélio de Souza, Luiz Fernando Barca, Adriana Margarida Rodrigues Ferreira de Souza, Cristina Santos de Almeida

Palavras-chave

hidrociclone, separação óleo/água, sistema compacto de separação, separação ciclônica, processamento primário de correntes líquidas

Compartilhe

  • Share to Google Plus
  • Share to Twitter
  • Share to Linkedin
Reparos de dutos com amassamento através de luvas de materiais compósitos submetidos à fadiga por pressão interna

Sistemas de reparo por meio de luvas de material compósito, originalmente desenvolvidos para o reforço de tubos corroídos, têm sido muito utilizado pelas indústrias. A Transpetro, operadora de dutos brasileira, solicitou a Petrobras e ao Centro de Pesquisa e Desenvolvimento (Cenpes) para investigar o comportamento destas luvas quando aplicada em dutos com mossa. Verificações experimentais foram realizadas, nas quais o material de enchimento e o material da luva foram variados. Mossas artificiais com profundidade de 19% do diâmetro externo foram impostas em espécimes com diâmetro nominal de 22” e 0,5” de espessura API 5L X60. Concreto e resina epóxi foram utilizados como materiais de enchimento, e como material da luva foram utilizadas fibras de vidro e de carbono. O principal objetivo deste sistema de reparo é fornecer um procedimento de instalação em temperaturas ambientes capaz de reduzir as tensões na região da mossa. O objetivo é aumentar a resistência à fadiga na região com defeito. Foram realizados testes experimentais de fadiga de baixo ciclo, onde foram utilizados espécimes não reparados, que serviram como base de comparação e espécimes reparados em diferentes cenários. Os espécimes foram todos instrumentados para medir as deformações na região da mossa. Após os testes de fadiga, cada espécime foi pressurizado até o colapso, no intuito de se verificar o limite de resistência. Este trabalho mostra os resultados dos testes e as deformações de cada espécime reparado, com o objetivo de definir parâmetros que servirão para o projeto de casos futuros.


Autores: Valber Azevedo Perrut, Luiz Cláudio de Marco Meniconi, Byron Gonçalvez de Souza Filho

Palavras-chave

reparo de dutos, materiais compósitos, fadiga em dutos com mossa

Compartilhe

  • Share to Google Plus
  • Share to Twitter
  • Share to Linkedin
Desenvolvimento do módulo II do Campo de Espadarte: da concepção ao primeiro óleo

O principal objetivo deste trabalho é mostrar os principais desafios do processo de construção dos nove poços do desenvolvimento do módulo II do campo de Espadarte, concessão do Ativo de Produção Centro da Unidade de Negócios Bacia de Campos. Também serão apresentadas algumas novidades utilizadas no projeto, as ocorrências mais relevantes, os preparativos para o primeiro óleo e finalmente alguns resultados sobre os tempos de construção dos poços.


Autores: Marcelo Oliveira de Andrade

Palavras-chave

perfuração, completação, Campo de Espadarte, intervenção em poço, válvula isoladora de formação, bomba centrífuga submersa submarina

Compartilhe

  • Share to Google Plus
  • Share to Twitter
  • Share to Linkedin
Base Torpedo – um novo método para instalação do revestimento condutor

Nos últimos anos, a Petrobras vem otimizando e reduzindo o custo dos sistemas de ancoragem por meio da utilização de estacas-torpedo. Esse tipo de âncora consiste em uma estaca tubular lastreada com material pesado que é instalada a partir de um rebocador, num processo que aproveita a energia gerada pela queda livre da estaca. Esse é um conceito de ancoragem de baixo custo, de simples fabricação e instalação. Mais de duzentas estacas-torpedo foram instaladas na costa brasileira nos últimos quatro anos. Baseado no sucesso das estacas-torpedo para ancoragem, o Departamento de Exploração e Produção da Petrobras (E&P) decidiu empregar a mesma idéia para a instalação do revestimento condutor. O grande benefício disso seria o fato de a instalação poder ser realizada a partir de um rebocador, economizando um tempo de sonda considerável. Outra vantagem desse método, se não a mais importante, seria a obtenção de uma melhor fundação para o poço, uma vez que não há remoção do solo durante o processo de instalação da base, mas sim a compactação do mesmo ao redor do revestimento condutor. este trabalho apresenta uma visão geral da experiência da Petrobras com as Bases Torpedo no campo de Albacora Leste bem como algumas outras aplicações dessa tecnologia do ponto de vista da produção.


Autores: Emmanuel Franco Nogueira, Alexandre Thomaz Borges, Cipriano José de Medeiros Júnior, Rogério Diniz Machado, Ebenézer Viana de Souza

Palavras-chave

ancoragem, revestimento condutor, base torpedo, cabeça de poço, embarcação de manuseio de âncoras (AHTS)

Compartilhe

  • Share to Google Plus
  • Share to Twitter
  • Share to Linkedin
Desenvolvimento de ferramenta computacional interpretadora de dados de PWD (Pressure While Drilling) em tempo real

A perfuração de poços de petróleo é um processo extremamente complexo e de alto custo no qual a pressão anular deve ser mantida entre valores máximos (pressão de fratura) e mínimos (pressão de poros) que definem a chamada “janela operacional”. Vários fenômenos causam impacto direto nas pressões anulares durante a perfuração, tais como: remoção ineficiente dos sólidos gerados durante a perfuração, quebra de gel na retomada de circulação após períodos de repouso, movimentação da coluna (surge/swab), manobras, troca de fluido, kicks, entre outros. A correta interpretação de dados de pressure while drilling (PWD) é uma ferramenta poderosa para a identificação e a prevenção de tais fenômenos. Atualmente, a identificação destes eventos é realizada por um especialista que acompanha o processo analisando graficamente os dados e concluindo sobre problemas ocorridos ou na iminência de ocorrerem. Este especialista alerta, se for o caso, os operadores a tempo de reverter a situação ou de interromper a perfuração. O principal objetivo deste projeto é criar uma ferramenta computacional de monitoramento de dados de pressão (e de mudlogging) em tempo real que seja capaz de identificar variações nas pressões e suas causas. Além disso, a ferramenta também permite a manipulação dos dados de PWD dentro de uma arquitetura flexível. Tal flexibilidade permite a incorporação futura de novos métodos, conforme estes sejam pesquisados e desenvolvidos. Ao final, pretende-se obter uma ferramenta que sirva tanto para o estudo fundamental dos problemas e fenômenos físicos, específicos encontrados durante a perfuração, quanto para o acompanhamento em tempo real para auxílio aos profissionais envolvidos no processo.


Autores: Roni Abensur Gandelman, Gleber Tacio Teixeira, Alex Tadeu de Almeida Waldmann, Átila Fernando Lima Aragão, Mauricio Seiji Rezende, Eduardo Kern, Clovis Maliska Junior, André Leibsohn Martins

Palavras-chave

monitoramento de pressões em tempo real, problemas de perfuração, PWD, pressão de poço

Compartilhe

  • Share to Google Plus
  • Share to Twitter
  • Share to Linkedin
Estudo de desempenho de poços de petróleo: uma proposta de um novo índice de desempenho

Neste trabalho é proposto um novo parâmetro, denominado de índice de desempenho do escoamento (IDE), para analisar o desempenho de instalações de poços de petróleo. Uma característica notável desse parâmetro é que ele utiliza dados abundantes de campo, os quais são medidos periodicamente. O IDE permite, por exemplo, avaliar as tecnologias utilizadas nos poços, comparar o desempenho de poços verticais, direcionais e horizontais, verificar a influência da geometria do poço para um mesmo campo e uma mesma zona produtora. Exemplos de aplicaçãocom análise de desempenho do tipo de contenção de areia e monitoração da produção são apresentados neste artigo.


Autores: José Ricardo Pelaquim Mendes, Kazuo Miura, Naisa Carrillo Arturo, Sérgio Nascimento Bordalo, Celso Kazuyuki Morooka

Palavras-chave

índice de desempenho de poço , índice de escoamento , fluxo, índice de produtividade de poço, benchmark

Compartilhe

  • Share to Google Plus
  • Share to Twitter
  • Share to Linkedin
O embarque do jairo

Gringo tem mania de abreviar tudo...Um francês, responsável pela instalação de um equipamento submarino na Bacia de Campos, costumava chamar de “Gyro” (pronuncia-se jairo) o giroscópio, instrumento usado para orientação, muito importante nas instalações no mar. Assim, na descida de uma base de produção de petróleo, na Bacia de Campos, o francês enviou uma mensagem para o órgão de apoio em Macaé: - Eu só fazer lançamento de equipamento se o “Gyro” estiver
na plataforma!


Autores: João Siqueira

Palavras-chave

Compartilhe

  • Share to Google Plus
  • Share to Twitter
  • Share to Linkedin