• English
  • Espanhol
  • Português
Submit

EM PUBLICAÇÃO

EDIÇÕES

Boletim Técnico da Petrobras

Publicação:DEZ /2011

Volume:54

Número:3

Artigos mais procurados

Artigos
Expediente, Editorial e Sumário

Neste número do Boletim Técnico da Petrobras (BTP) estão publicados trabalhos de interesse da comunidade de Ciência e Tecnologia, bem como de Saúde e Meio Ambiente, contribuindo para compartilhar os conhecimentos adquiridos, na Companhia, interna e externamente. Nesta publicação do Boletim Técnico da Petrobras, volume 54, número 3, contemplamos os artigos das áreas de Energias Renováveis, Engenharia, Tecnologia de Materiais, Saúde, Meio Ambiente, Segurança do Trabalho, entre outras. Com sua divulgação cada vez mais ampla, o Boletim Técnico da Petrobras possui distribuição em diversos países, em instituições de ensino e pesquisa, e empresas voltadas às áreas de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, e vem sendo disponibilizado em formato impresso e também digital acompanhando, assim, as tendências tecnológicas de nossos tempos. Esperamos que apreciem a leitura.


Autores:

Palavras-chave

Compartilhe

  • Share to Google Plus
  • Share to Twitter
  • Share to Linkedin
Aplicações de enzimas em atividades de exploração e produção de petróleo

O domínio do conhecimento sobre o desenvolvimento e aplicação de catalisadores é considerado estratégico em diversas áreas da indústria de energia. Dentre os catalisadores em ascensão, destacam-se as enzimas, que são macromoléculas de origem biológica. Neste artigo, são apresentados os resultados de estudos de mapeamento das potenciais aplicações de enzimas em atividades de exploração e produção de petróleo. Dentre os principais papéis que as enzimas podem desempenhar neste setor, destacam-se: alteração do pH de reservatórios, remoção de reboco, síntese de emulsificantes, recuperação avançada de petróleo, controle da biocorrosão e fraturamento hidráulico. Em muitas dessas aplicações, os biocatalisadores apresentam vantagens frente ao uso de agentes químicos, devido à sua maior especificidade (que acarreta menor dano ao reservatório, equipamentos e dutos), condições mais brandas de atuação e melhor desempenho em termos de segurança operacional, saúde ocupacional e sustentabilidade ambiental.


Autores: Marcos de Campos Cavalcanti de Albuquerque, Ana Carla Cruz Albuquerque Barbosa, Maíra Paula de Sousa, Antonia Garcia Torres Volpon, Gina Vazquez Sebastian, João Crisósthomo de Queiroz Neto, Aline Machado de Castro

Palavras-chave

enzimas, modificação de fluidos, recuperação avançada de petróleo, controle da biocorrosão

Compartilhe

  • Share to Google Plus
  • Share to Twitter
  • Share to Linkedin
Aproveitamento das frações sacarínea, amilácea e lignocelulósica do sorgo sacarino [Sorghum bicolor (L.) Moench] para a produção de bioetanol

Dentre as diversas matérias-primas renováveis disponíveis para a produção de etanol, o sorgo sacarino apresenta-se como uma das opções mais promissoras devido à sua ampla adaptabilidade em diferentes tipos de clima e solo. Além disso, é a única cultura que fornece colmos e grãos que podem ser usados para a produção de etanol por via enzimática, e a biomassa excedente (resíduo lignocelulósico) pode ser utilizada tanto na cogeração de energia, como na produção de etanol de segunda geração. O objetivo deste trabalho foi avaliar a produção de bioetanol a partir das frações sacarínea, amilácea e lignocelulósica do sorgo sacarino. A conversão da fração amilácea contida nos grãos atingiu a produção de 87g.L-1 de etanol, a do caldo sacarino resultou em 72g.L-1, e da fração lignocelulósica do sorgo sacarino foi possível produzir 30g.L-1 e 84,4g.L-1 de etanol das frações hemicelulósicas e celulósicas, respectivamente. Com este processo foi possível atingir a relação de aproximadamente 160L de etanol/ton de sorgo sacarino como um todo, o que corresponde a 13.610L de etanol/ha, aproveitando 79,1% do potencial teórico das frações de açúcares do sorgo. Estes resultados indicam a possibilidade de usar esta cultura excepcional como principal matéria-prima para a produção de etanol e outros bioprodutos de alto valor agregado em regiões com condições de solo e clima desfavoráveis ao cultivo de cana-de-açúcar e como cultura complementar na entressafra do cultivo de cana.


Autores: Carolina Araújo Barcelos, Lidia Maria Melo Santa Anna, Roberto Nobuyuki Maeda, Nei Pereira Junior

Palavras-chave

sorgo sacarino, fermentação alcoólica, pré-tratamentos, materiais lignocelulósicos, bioetanol

Compartilhe

  • Share to Google Plus
  • Share to Twitter
  • Share to Linkedin
Determinação do ponto de fulgor de naftas e suas misturas

Devido ao crescimento do mercado de etanol no Brasil, em alguns cenários, as refinarias têm dedicado esforços no sentido de deslocar parte da produção de gasolina para óleo diesel. No entanto, a especificação de ponto de fulgor (PF) mínimo igual a 38ºC é uma restrição para a incorporação de frações leves ao pool de óleo diesel. Dessa forma, a determinação do PF de frações leves é essencial para a predição do PF do produto final e, consequentemente, para a otimização do processo de mistura. O método mais aceito para a determinação do PF (ASTM D56) requer algumas condições experimentais que dificultam seu uso em análises de PF de frações leves na rotina de laboratórios de controle de qualidade. Considerando-se esse contexto, desenvolveu-se uma nova metodologia para a determinação do PF de frações leves indiretamente, utilizando misturas dessas frações leves com amostras-padrão. Além disso, a partir do banco de dados gerado, uma nova correlação de predição de PF de correntes leves foi ajustada. Os resultados mostraram que a metodologia proposta é adequada para fins industriais, reduzindo o tempo de análises, assim como os erros envolvidos na estimativa do PF do diesel.


Autores: Leonardo Vasconcelos Fregolente, Deborah Aparecida Flores Ozaki, Maria Regina Wolf Maciel

Palavras-chave

óleo diesel, ponto de fulgor, nafta

Compartilhe

  • Share to Google Plus
  • Share to Twitter
  • Share to Linkedin
Problema rotodinâmico de autovalor: sistema giroscópico não amortecido

Apresenta-se um novo método para o desacoplamento das equações de movimento de um sistema rotodinâmico não amortecido. São utilizadas apenas as matrizes de massa, rigidez e giroscópica, no seu estado original de espaço padrão (n × n), não sendo necessária a duplicação das matrizes para o espaço estado (2n × 2n). São usados no desacoplamento os autovetores da matriz giroscópica e de sua transposta, que, no caso das matrizes de massa e rigidez simétricas, são os mesmos autovetores do sistema completo.


Autores: Adhemar Castilho, Victor Prodonoff

Palavras-chave

autovalor, autovetor, efeito giroscópico, desacoplamento, vibração natural

Compartilhe

  • Share to Google Plus
  • Share to Twitter
  • Share to Linkedin
Gestão Compartilhada de P&D: a Hélice Tripla no Rio Grande do Norte

Descreve-se o modelo de Gestão Compartilhada de P&D adotado em uma parceria entre a Petrobras e a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), decorrida uma década desde sua criação. São considerados os resultados acadêmicos e tecnológicos obtidos, a infraestrutura construída, a empregabilidade dos participantes do processo de P&D com a Petrobras e a contribuição do modelo para o desenvolvimento regional. Apresenta-se o histórico da construção do relacionamento entre a organização empresarial de base tecnológica e a organização acadêmica tradicional com vistas a atingirem objetivos comuns, regulados por contratos. Trata-se do estudo de caso de uma típica Hélice Tripla com a participação dos elementos governo, empresa e universidade. Procurou-se também caracterizar esta relação institucional segundo os pressupostos da teoria organizacional, utilizando-se das perspectivas da dependência de recursos e das redes interorganizacionais.


Autores: Carlos Alberto Poletto, Maria Arlete Duarte de Araújo, Wilson da Mata

Palavras-chave

gestão, Hélice Tripla, dependência de recursos, Redes Temáticas

Compartilhe

  • Share to Google Plus
  • Share to Twitter
  • Share to Linkedin
Metodologias de projeção para o mercado petroquímico

Uma das tarefas primordiais do estudo de um mercado é prever o comportamento da demanda. Este artigo apresenta a utilização de três metodologias para elaboração de projeções de demanda para prever o consumo das seguintes resinas termoplásticas: polietileno de alta densidade (PEAD), polietileno de baixa densidade (PEBD), polietileno linear de baixa densidade (PELBD), polipropileno (PP), poliestireno (PS), policloreto de vinila (PVC), politereftalato de etileno (PET grau garrafa e PET grau fibra). São descritos os três modelos considerados: matemático, de cross-section e de setores demandantes; e apresentadas as formas como foram adaptados às necessidades da Empresa. A conclusão indica os ganhos alcançados com a aplicação destas metodologias na área petroquímica, bem como seus aspectos favoráveis e principais limitações.


Autores: Artur André do Valle Freitas, Claudia Oliveira de Araujo, Octavio Vargas Freitas Pinton

Palavras-chave

mercado petroquímico, metodologias de projeção, modelos matemáticos cross-section, setores demandantes

Compartilhe

  • Share to Google Plus
  • Share to Twitter
  • Share to Linkedin
Relato de caso: teste de campo em exame médico admissional

Este artigo é um relato de caso que trata da avaliação médica admissional de um candidato a operador I em refinaria de petróleo. O candidato apresenta alteração isolada em exame oftalmológico, com cegueira legal no olho esquerdo e visão normal no olho direito. O candidato já apresentou anamnese ocupacional com experiência para o cargo em outras empresas. Por isso, realizou-se teste de campo, com simulação de situações práticas da atividade quanto à discriminação estereoscópica. A avaliação do teste de campo foi realizada por uma equipe multidisciplinar. A avaliação de desempenho implica a conclusão de exame com resultado de apto/inapto, demonstrando a necessidade de avaliar fatores de natureza ergonômica e verificando a adaptação do trabalhador ao trabalho.


Autores: Mirian Tereza Gomes Pastana, Carlos Antonio Melgaço Valadares, Helton de Souza Rosa

Palavras-chave

monocularidade, exame médico admissional, teste de campo

Compartilhe

  • Share to Google Plus
  • Share to Twitter
  • Share to Linkedin
Mudanças na legislação federal brasileira relacionada à exposição ocupacional aos agentes químicos

Nos últimos 20 anos, ocorreram frequentes e significativas mudanças na legislação trabalhista, previdenciária e de saúde, aplicável aos ambientes de trabalho. Estudo realizado sobre a legislação federal, cuja aplicação traz reflexos na avaliação, gestão e controle das exposições ocupacionais a agentes químicos com risco potencial à saúde humana, identificou 76 diplomas legais, incluindo 12 leis, 14 decretos, 19 portarias, 4 normas regulamentadoras, e várias resoluções, instruções normativas e protocolos. Esta profusão de instrumentos legais, associada à rapidez de mudanças e à necessidade de sua aplicação por profissionais com formação básica em Saúde e Engenharia, constitui uma grande dificuldade para os serviços de Segurança e Saúde das empresas. Além de analisar as mudanças ocorridas, este artigo tem por objetivo reunir em uma única fonte de consulta, o histórico destas alterações legais.


Autores: Paulo Antonio de Paiva Rebelo, Henrique Vicente Della Rosa, Elizabeth de Souza Nascimento

Palavras-chave

legislação, exposição ocupacional, agentes químicos, saúde ocupacional, segurança industrial

Compartilhe

  • Share to Google Plus
  • Share to Twitter
  • Share to Linkedin